quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Na reta final, Haddad tem 49% e Serra, 34%


 

Pesquisa Datafolha finalizada ontem mostra o petista Fernando Haddad liderando com folga a disputa pela Prefeitura de São Paulo. Com 49% das intenções totais de voto, ele acumula 15 pontos de vantagem em relação ao tucano José Serra.
O cenário é praticamente idêntico ao do levantamento realizado da semana passada. Em 17 e 18 de outubro, Haddad já tinha 49%. Serra, que antes aparecia com 32%, oscilou dois pontos para cima e agora está com 34%.
Na conta dos votos válidos (que exclui declarações de voto branco e nulo), Haddad alcança 60%; Serra, 40%.
Encomendado pela Folha em parceria com a TV Globo, o levantamento ouviu 2.084 eleitores ontem e anteontem. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos para mais ou para menos.
Os resultados mostram que o tom mais agressivo dos candidatos nos últimos dias não surtiu efeito relevante. Desde a semana passada, Serra tem acusado Haddad de querer acabar com as parcerias entre prefeitura e entidades privadas na gestão de hospitais.
O petista diz que não é verdade, acusa o tucano de fazer jogo sujo, mas opta por um tom mais ambíguo quando questionado sobre o tema.
Outro dado que mostra estabilidade do cenário é o do grau de convicção no voto: 92% dos adeptos de cada um afirmam estar totalmente decididos. Na ponta inversa, apenas 8% dizem que ainda podem mudar o voto.
Entre os eleitores que cogitam trocar de candidato, Haddad também leva vantagem. Ele é citado como segunda opção por 31% nesse grupo, enquanto Serra é citado por 24%.
O conjunto de paulistanos indecisos -entrevistados que respondem não saber em quem votar- caiu de 9% para 6% nesta rodada. Nesse pequeno universo, 39% dizem que Haddad é o candidato que tem mais chance de ficar com o voto. Serra fica com 27% das citações.
O Datafolha também investigou as taxas de rejeição dos candidatos. Assim como no levantamento anterior, 52% dos entrevistados disseram que não votam em Serra de jeito nenhum. Já a rejeição a Haddad oscilou dois pontos para cima, de 34% para 36%.
PREPARO
Pela primeira vez, o Datafolha investigou a opinião dos eleitores a respeito do preparo dos candidatos para governar São Paulo.
Para 76% dos entrevistados, "os candidatos deveriam estar mais preparados para enfrentar os problemas da cidade". Ao perguntar sobre esse assunto, o instituto pediu para cada eleitor considerar todos os candidatos que disputaram o primeiro turno.
Diante dessa questão, só 18% disseram que os postulantes estavam, sim, à altura do que São Paulo precisa.
Outra pergunta inédita foi a respeito dos motivos da escolha no segundo turno. Nesse caso, 62% dizem ter escolhido Haddad ou Serra "por ser a pessoa ideal" para administrar a cidade, enquanto 36% afirmam que fizeram essas escolhas "por falta de opção melhor".
Sobre as propostas apresentadas desde o primeiro turno, 54% julgam que os candidatos falaram menos do que o esperado sobre os problemas do dia a dia.

Nenhum comentário:

Lei Estadual 8.878/2019 trata sobre a regularização fundiária de imóveis urbanos e rurais do Estado.

Representantes de entidades da sociedade civil paraense e do Ministério Público Federal (MPF) participaram, na manhã ontem terça-feira (8), ...