terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Justiça além de cega é paralítica. (CASO DO POLICIAL MILITAR CB. LIMA)

Se fosse por rito processual "normal" da Justiça de Ananindeua, o nacional vulgamente chamado de PAPAGAIO estaria livre, leve e solto, digo, solto mesmo. Falo isso, porque este "cidadão" não teve sua prisão preventiva decretada ainda pelo juízo criminal de Ananindeua, pensei até que fosse desidia do presidente do Inquérito, mas a delegada de plantão informou que já havia solicitado a custódia preventiva de PAPAGAIO. Ontem na Seccional de Anindeua ele estava devidamente acompanhado por seu advogado, que postulava sua liberdade incontinente, haja vista não ter sido preso em flagrante delito. Até aí estava certo o advogado, entretanto, havia uma prisão preventiva decretada pelo Juiz de Bragança de um crime de assalto que PAPAGAIO cometeu pelas bandas de lá, "o que salvou a pátria". Parece que no interior a Justiça é menos tardia. A pergunta que não quer calar: Será que por ser policial, há uma visível discriminação, será que não é ser humano? Se fosse um dos "donos do poder" que tivesse sucumbido com um tiro no peito, será que PAPAGAIO já não estaria preso a muito tempo? Responda se puder!!!

Nenhum comentário:

Lei Estadual 8.878/2019 trata sobre a regularização fundiária de imóveis urbanos e rurais do Estado.

Representantes de entidades da sociedade civil paraense e do Ministério Público Federal (MPF) participaram, na manhã ontem terça-feira (8), ...