terça-feira, 24 de novembro de 2009

Em 10 estados, o que Lula não quer.

O ex-senador e ex-presidente da Petrobras José Eduardo Dutra (SE) deve ser eleito presidente nacional do PT no primeiro turno e pretende anunciar, amanhã, pontos de sua política para tentar pacificar os conflitos entre aliados nos estados. Para as eleições de 2010, cuja prioridade do PT será tentar eleger a ministra Dilma Rousseff sucessora do presidente Lula, Dutra tem o desafio de desarmar palanques duplos da base governista em pelo menos dez estados, inclusive no Rio.
Dutra, porém, diz considerar que apenas três estados são dados como caso perdido na tentativa de unificar PT e aliados em torno da candidatura de Dilma: Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.
Confirmada sua eleição hoje ou amanhã, Dutra iniciará imediatamente as conversas com os petistas que trabalham para ter candidatura própria em confronto com o PMDB, como é o caso do Rio. Ele fará um balanço do resultado do Processo de Eleição Direta do PT (PED), já dando o tom de sua estratégia, avalizada pelo presidente Lula e pela ministra Dilma.
Dutra promete partir para o enfrentamento com o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, que quer se lançar pré-candidato ao governo pelo PT, para preservar o apoio à reeleição do governador Sérgio Cabral, e o consequente palanque forte do PMDB para Dilma no estado. Terá a missão também de convencer o PMDB do contrário, casos do Pará e Minas Gerais, por exemplo.

Nenhum comentário:

Lei Estadual 8.878/2019 trata sobre a regularização fundiária de imóveis urbanos e rurais do Estado.

Representantes de entidades da sociedade civil paraense e do Ministério Público Federal (MPF) participaram, na manhã ontem terça-feira (8), ...